Feira do Fumeiro em Vinhais

Feira do Fumeiro em Vinhais

Como já vem sendo costume, Vinhais volta a acolher mais uma Feira do Fumeiro que irá decorrer entre os dias 5 e 8 de fevereiro. Esta feira, que já acontece na vila transmontana desde 1981, dá a conhecer aos seus visitantes os saborosos produtos da região, assim como um vasto programa de atividades.

Expositores

A principal razão de visita a esta feira é o seu famoso fumeiro. Por essa razão, o pavilhão principal de exposições é ocupado por produtores individuais, cozinhas tradicionais e unidades de produção de fumeiro certificado do concelho de Vinhais. Grande variedade de salpicões, chouriças de carne, butelos, alheiras, chouriços azedos, chouriças doces e presuntos, confecionados com recurso à carne de porco Bísaro, encontram-se nos diversos expositores da feira. Só de escrever isto já ficamos com água na boca!

A maioria dos produtores individuais criam vários porcos, com o objetivo específico de produzir fumeiro para esta Feira que, a nível gastronómico, já é uma referência nacional. A feira, pela dimensão que ganhou nos últimos anos, tornou-se um espaço que agrega muitas outras atividades económicas. Aqui também se encontra o melhor artesanato, uma grande variedade de produtos da terra e outros produtos locais, uma área de exposição de maquinaria agrícola e até um espaço Gourmet, onde os produtos mais “especiais” são expostos e vendidos.

O fumeiro

Este produto é comercializado por dezenas de produtores e consumido na feira e tem Proteção Comunitária IGP- Indicação Geográfica Protegida, atribuída pela União Europeia, garantindo a quem adquire os produtos uma certificação de qualidade. Esta certificação é garantida graças à raça autóctone da região de Vinhais, o porco Bísaro, alimentado à base de produtos naturais, de que é exemplo a castanha, contribuindo para que a sua carne seja suculenta e saborosa.

Salpicão de Vinhais

O salpicão de Vinhais é um enchido cuja base de confeção é o lombo de porco Bísaro ou de porco cruzado com esta raça autóctone. Esta carne, devidamente condimentada, pode depois de curada e tornada no delicioso salpicão, ser consumido cru, finamente fatiado, ou, enquanto fresco, ser assado na brasa.

Chouriça de carne de Vinhais

Também chamada de linguiça, tem na sua composição carne e gordura de porco de raça Bísara ou de porco cruzado com Bísaro. A chouriça de Vinhais pode ser consumida crua, assada ou cozida, conforme o tempo que tem de cura.

Alheira de Vinhais

Criada a partir da mesma carne. O enchido fumado é fabricado com carne, pão regional de trigo e azeite transmontano, a que se junta sal, alho e colorau. Depois de fumada, a alheira deve consumir-se assada.

 Butelo de Vinhais

O butelo de Vinhais é um enchido fumado, confecionado com carne de porco, gordura, ossos e cartilagens de porco Bísaro ou cruzado com esta raça.  Este enchido deve ser consumido cozido.

Chouriço azedo de Vinhais

É a partir da carne de porco Bísaro ou porco cruzado com esta raça autóctone que se confeciona o chouriço azedo de Vinhais. Para se fabricar este enchido fumado, adiciona-se à carne pão de trigo da região e azeite transmontano. As carnes e a gordura, condimentadas com sal, são cozidas e desfiadas e misturadas com o pão. O chouriço azedo de Vinhais deve ser consumido cozido.

Chouriça doce de Vinhais

Passamos do azedo para o doce. Esta chouriça é confecionada com carne magra e carne gorda de porco Bísaro ou porco cruzado com Bísaro, sangue de porco, pão de trigo da região, mel, nozes e amêndoas e azeite de Trás-os-Montes. Depois de cozinhadas, as carnes são desfiadas e é adicionado o pão e os restantes ingredientes. Por fim, basta cozer a chouriça para ser consumida.

Presunto de Vinhais

Por último, mas não menos importante, o presunto obtém-se das pernas de porco Bísaro adulto, macho ou fêmea. Durante cerca de 30 dias as pernas estão em salga. Quando esta é concluída, o presunto é untado com uma mistura composta por colorau, azeite e/ou banha e exposto à ação gradual do fumo da queima de carvalho ou castanho. A cura e envelhecimento acontece em local frio e seco e todo o processo demora, no mínimo, um ano. Quando o presunto está pronto, deve ser consumido cru, cortando-se finas fatias.

Venha visitar esta Feira e degustar os maravilhosos produtos que são produzidos na região de Vinhais. Para conhecer melhor a Feira consulte aqui o seu site.